Brincadeira séria

Foto: Patrícia Lobo/Flickr.com

Faz de conta: você acordou, ligou para o salão e marcou um horário. Na hora do almoço, foi lá e pediu: “Corta bem curto”. O cabeleireiro não acreditou no que ouvia. Afinal, seus quase cinquenta centímetros de cabelo sempre foram, na sua cabeça (literalmente), uma espécie de atestado de feminilidade. Mas agora eles teriam de ser curtos. Para que suas ideias ficassem longas. Ele colocou a mão um pouco abaixo do seu ombro: “Mais ou menos aqui?” Você segurou a mão dele, levou-a na altura da orelha e disse: “Tosa”.

Depois, você passou naquela loja onde tem uns vestidos moderninhos e coloridos. Você entrou e pediu aquele cor de laranja com borboletas, muito mais curto do que os que você costuma usar. Aproveitou e pediu a sapatilha da vitrine. Arrancou o seu terninho bege, sua camisa branca e seu escarpim marrom. Deixou tudo por lá mesmo, no provador. E quando a vendedora perguntou o que fazer com aquilo, você disse: “Queima”.

Quando você retornou ao trabalho, uma hora depois do horário de costume, com aquele vestidinho e com os cabelos daquele jeito, a roda em torno de você foi se formando. Uns, animadíssimos. Outros, nem tanto. Alguns reprovaram. Como as coisas já não andavam muito bem por ali, sua chefe lhe chamou no final do dia para conversar, e avisou que as coisas não poderiam continuar daquele jeito, ou ela teria que substituir você. E você disse: “Substitui”.

Saindo do escritório, deu vontade de jantar naquele bistrô onde você acha que só deve ir no dia do seu aniversário ou outra data importante. Você mal encostou seu carro e já veio o dono da rua, dizendo que eram dez pratas para estacionar ali. Como você não deu bola, o homem começou aquela conversinha surrada dizendo, na entrelinha da entrelinha, que um eventual não-pagamento antecipado incorreria em riscos indesejáveis na pintura do seu bólido. Você pegou o celular, digitou três números, mostrou o visor para o homem e, já com o dedo na tecla “call”, disse: “Risca”.

Faz de conta que você chegou em casa e sua filha de dezessete anos estava na sala com o namorado. Você teve que contar de novo a história daquele vestido e daquele cabelo e, como chovia, ela sondou se o rapaz poderia dormir ali. E, enquanto jogava no lixo aquela agendinha que você só usava no trabalho, você disse: “Pode”.

Quando se deitou para dormir, aquele anjo que costuma vir conversar com você antes do sono se empoleirou na cabeceira da sua cama. Elogiou o cabelo, o vestido, a decisão no trabalho, o presente de não-aniversário, o chega-pra-lá no dono da rua, a atitude com a filha. Só por curiosidade, perguntou que bicho havia mordido você. E você, se ajeitando no travesseiro e desligando o abajur, disse: “Nenhum”.

No dia seguinte, vendo que eram dez da manhã e você ainda não havia se levantado, sua filha entrou no quarto, vocês conversaram e no final ela perguntou como é que vocês viveriam dali para frente. Com certa ironia, ela arriscou dizer que com as bolsas e os badulaques que você produzia e vendia nos finais de semana é que não seria. E você disse: “Sim”.

À tarde, você procurou o dono daquele galpão que você havia visto para alugar, perfeito para um atelier, e fez uma oferta. O homem coçou a cabeça, pediu um pouquinho mais, e você disse: “Fechado”.

À noitinha, você foi até a casa dos seus avós, assim, de surpresa. E, de surpresa, você os beijou. Quando eles perguntaram o que era aquilo, você disse: “Amor”.

Faz de conta que foi assim. Faz de conta que foi desse jeito que você virou a mesa com as quatro cadeiras e viveu, serenamente, seu dia de fúria. Que resolveu não perder mais tempo, fazer o que gosta e ser do jeito que você, só você, acha que é melhor.

Faz de conta que você morreu. E que alguém lhe deu a oportunidade de voltar para um terceiro tempo.

Então. Agora vai lá e faz tudo de verdade.

[Nota mais que importante: este texto é meu. Fico feliz que ele esteja viajando pela web, sinal que as pessoas gostaram. Texto é igual filho: a gente cria para o mundo. Mas é uma pena quando algumas pessoas não se lembrem que ele tem mãe.]

Anúncios

193 comentários sobre “Brincadeira séria

  1. Oi Sil, amei seu texto, vi vc fazendo isto, senti a emoção de virar o jogo, já que quando se faz a primeira vez, as próximas vem em seguida. Parabéns e fico feliz pelo André ter compartilhado um pouco das suas mil aventuras. Agora visita diarias no seu lindo blog. beijos , Siga em Paz – Márcia Lima (mensageira da Rosa)

    Curtir

  2. Sil,
    Estou ficando beneficamente “viciada” no seu blog! Leio todos os dias!
    Amei este texto TAMBÉM!
    Obrigada pela generosidade em compartilhar.
    Abraços da sua fã de verdade.

    Curtir

  3. Eu já tinha comentado esse texto em janeiro do ano passado. Lá eu digo que ele me veio no momento certo. Naquela época eu mudei mesmo algumas coisas, me dando uma segunda chance.
    Acho que lendo agora, ainda vejo que posso me dar outras mais.

    Feliz todos os dias pra vc, amiga-anjo.

    Curtir

  4. Sil, amei e repassei para todos os meus contatos mulheres e simpatizantes rsrsrsrsr. Não se preocupe, coloquei seu nome e o link para o blog. Beijão

    Curtir

  5. vcc colocou tudo no nivel do faz de conta, mas vai que a pessoa tem coragem e ousa?
    vai que a coragem dela só vai até o vestidinho laranja?
    ainda assim ela ousa.
    e vai que a coragem chega até o galpão???
    é o maximoa da libnerdatão
    adorei, adorei

    Curtir

  6. já cortei o cabelo no 1, mandei o antigo emprego às favas (faz tempo), aluguei o galpão (faz tempo), recentemente larguei os ternos e passei pro jeans, mas sabe? A novidade vira rotina de novo… há sempre novos navios a serem queimados, mesmo que v. agora só ande de sunga de crochê e more em Jeri.

    Curtir

  7. Parabéns pelo texto!
    Eu andei repassando o seu texto para muitas amigas, incluindo seus crédito, é claro.
    Ele tem sido fonte inspiradora para uma “reviravolta” da alma! Engraçado, que tudo comece mesmo a partir do cabelo! Já pensou nisso? Se um rapaz vai servir às Forças Armadas, corta o cabelo para diferenciar dos civís; em algumas Ordens Religiosas exigem que seus seguidores adotem algum tipo específico de corte ou tamanho do comprimento, até mesmo em raspar toda a cabeleira; todos os séculos são demarcados pelo corte dos cabelos ou algum uso da moda… E assim segue a humanidade e seus cabelos, como o filme Hair, que majestosamente demonstra muito bem o que eu escrevi!
    Então, fiz como seu texto: estou nessa reviravolta de corpo e alma, e comecei ontem! Havia mais de 23 anos que eu não cortava meus cabelos tão curtos, justamente para alongar as ideias. Pronto! Acabei lhe parafraseando.
    Abraços.

    Curtir

  8. rs.
    Parabéns a mãe do texto. É mto bacana.
    Depois que li anotei meus pensamentos.
    Não usei seu texto, me inspirei, mas mesmo assim deixei os créditos lá!
    Filho e mãe juntos e linkados.
    Tudo de bom!
    A Dona do Lar

    Curtir

  9. Foi como alguem comentou ali, eu fiquei grudada no computador até terminar de ler o texto!
    Muito bacana e inspirador!
    Continue assim.
    Beijo

    Curtir

  10. Sou professora e procurava na net um texto sobre coragem para, no início do próximo período, motivar os meus alunos para o tema. Encotrei o seu. Mero acaso.
    Não sei se o lerei ou não aos meus alunos mas gostei.

    Olga

    Curtir

  11. Oi Silmara,
    Tudo bem?
    Conheci vc através da minha querida amiga Simonne Almeida. Assim q visitei seu blog bati os olhos em três letrinhas:”LFT”,…… tinha certeza que me apaixonaria por vc!!!
    Fiquei “adesivada” ao computador,……..foi difícil sair.
    Amo ler, mas, no computador,……..só se for algo MUITO ESPECIAL!!!
    E era, vc escreve muito bem, é de uma delicadeza, inteligência, bom humor, simplicidade, que emociona!!!
    Fiquei imprecionada com sua forma de escrever.
    Muito Obrigada!!!
    Um beijo,
    Com Carinho,
    Tania Josefa.

    Curtir

  12. Olá, Silmara!!!
    Um texto muito bacana, daqueles de levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima.
    Se a gente não tentar, nunca vai saber se vai dar certo ou não.
    Abraços,
    Rose

    Curtir

  13. Silmara… que Deus proteja teus pensamentos todos os segundo! Eu desejo isso de todo meu coração mesmo sem te conhcer, porque essas palavras queescrever e dedicadas as pessoas gratuitamente, de verdade, é um bem que ” não tem preçco”, é lindo!
    Tudo o que tem nesse blog é lindo!
    É de inspirar… de chorar…. usei esse texto lá no meu blog para deixá-lo mais lindo… veja como ficou belo, usei na lateral porque se eu fizesse um simples post, ele logo sumiria da pégian e é tão lindo que precisas ficar visivel aos olhos todos os dias.
    Obrigada!
    Beijos carinhos á voicê que eu desejo sucesso.

    Curtir

  14. Lindooooooooo dá vontade de sair correndo mudando tudo!!
    Porque temos essa necessidade de fazer o que as outras pessoas acham ser bom para agente…passamos a vida inteira sonhando em realizar nossas verdadeiras vontades e nunca as fazemos! Putz!!! Mas uma coisa é certa depois desse texto maravilhoso resolvi colocar em prática meus planos e se Deus quiser daqui a dois anos vou estar te escrevendo de algum outro lugar do mundo!!!

    Curtir

  15. Recebi o texto através da minha irmã… E ela vem procurando a ‘coragem’ necessária para jogar no terceiro tempo…

    De certa forma, é um texto muito embasado à minha trajetória, aos estímulos diários que procuro alimentá-la. É difícil, claro, mas é preciso ao menos tentar…

    Faço de todas as palavras e mensagens já ditas, as minhas também. Muitas vezes pensamos que pode não haver mais o que dizer, mas não duvidemos de que sempre é possível irmos além, seja em palavras, gestos, atitudes!

    Obrigada, Silmara, por acrescentar tudo isso em um só lugar: aqui!

    Parabéns!

    Curtir

  16. Silmara, parabens pelo texto… nos faz lembrar de como deixamos de arriscar na vida…
    Li outros textos no blog, achei seu jeito de escrever fantastico, parece que voce esta ali perto, do outro lado da tela, como se voce soubesse exatamente o que dizer, na hora certa.
    abracos, Pericles, Blumenau/SC.

    Curtir

  17. Silmara,

    Ontem recebi um email de um amigo falando de um blog que ele tinha descoberto e acresentava: “o texto tem TUDO a ver contigo. o nome é “Brincadeira séria”: veja!”
    Eu vim conferir.
    Fiquei arrepiada quando li, pensei: é isso! Pensei ainda: que foda. E pensei:eu queria ter escrito esse texto. Meu amigo estava certíssimo ao achar q esse texto tem tudo a ver comigo. Eu estou numa fase dessas. Largar o estágio que não gosto (há dois anos venho pensando e fazer isso e ficava enrolando), falar com pessoas que antes não falava, fazer coisas que JAMAIS faria… Enfim, tô tentando fazer as coisas de verdade. Bom, Silmara, esse rodeio todo é só pra dizer que seu texto é belíssimo; na verdade é mais do que isso, mas eu, simplesmente, não consigo encontrar um adjetivo à altura dele.

    Curtir

  18. Sil, cheguei aqui pelo link de uma amiga……

    seu texto é realmente um tapa na nossa cara, nos empurrando contra nossa covardia quieta e cômoda de todos os dias……derramei lágrimas por mim…..

    bj

    Curtir

  19. Guria….estou chocada e envergonhada com a minha covardia…. me olhei no espelho e disse:
    “Mara esse era o tapa na cara que vc precisava!! Acooooorda menina!!!”
    Sil..parabéns pelo belo texto, vou imprimir e deixar um na minha bolsa, outro na cabeceira como texto obrigatório antes de dormir…para ver se eu acordo pra vida…kkkkkk
    Bjss
    com carinho

    Curtir

  20. Muito legal! Só para te dizer, que ja tenho meu galpao, minha filha e meu filho já “podem”, ja fui “substituida”, só nao cortei o cabelo e troquei o vestido porque TA MUITO FRIO hehehe!

    Curtir

  21. Eu cheguei aqui, por causa desse texto que alguém postou em algum blog, que não me lembro agora qual foi. Fiquei emocionada, chorei, mas não foi por mim – que graças as deusas, sou bem resolvida, não tenho muito medo de mudanças, na verdade sou meio hippye – deixo a vida me levar…
    Mas chorei pela minha irmã, pelas minhas amigas e alunas que precisavam ler este texto e sentir alguma coisa.
    Copiei o texto com o link e mandei para uma listinha delas, umas já me responderam falando que foi um tapa na cara, um banho frio de cachoeira, que também choraram, etc.
    Você é muito linda, tem um dom fenomenal para escrever de forma tão suave, coisitas tão pesadas! Que os santos e anjos esbritores te abençoem sempre!
    Bijim e Om Shanti.
    Aninha

    Curtir

    1. Clara (Borba), tentei enviar um email para você, mas retornou. De qualquer forma, muito obrigada. Um beijo, Silmara Franco

      Curtir

  22. Vi um link presse texto no blog de um amigo de um amigo de um amigo.

    Acho que vc já está convencida da beleza dele, mas acho que tb devo fazer minha parte: Parabéns.

    Curtir

  23. Muito, muito inspirador! E absurdamente bem escrito. Parabéns pelos textos e obrigada pela paulada na cabeça (fazer a gente pensar em como tudo pode estar em pausa na nossa vida às vezes dói).
    Vou colocar seu texto no meu blog. Ou melhor, parte dele, pois o texto é seu e deve ser lido aqui mesmo, não em outro lugar qualquer. Parabéns, mais uma vez!
    Beeejo

    Curtir

  24. Oi Silmara!
    Tentei comentar duas vezes e não consegui! Mas indiquei mesmo seu lindo e intelgente texto, passei para minha lista de contatos no domingo, porque gente bonita tem que ser conhecida!
    Continuarei por aqui curtindo suas paisagens!
    Abraços, os melhores desejos,
    Claudia

    Curtir

  25. Ah, mas que delícia mesmo seu texto. Linkei e enviei hoje por e-mail para todos meus contatos. Gente linda precisa ser conhecida! Um beijo no seu coração!
    Claudia

    Curtir

  26. Vim aqui por indicação de uma grande amiga. Ela tinha razão: eu ia adorar. Talvez por que há muito tempo eu tomava esse tipo de atitude e hoje vejo que meu cabelo cresceu, que eu nunca amei, que eu nunca me arrisquei em voos muito altos.

    O texto é inspirador por que ele fala à quem lê. Ele grita que somente atitudes suas podem realmente mudar a sua vida. Que entro o que é estável e melhor devemos escolher o que é melhor, mesmo que isso seja o mais difícil e custe muito mais caro.

    Meus parabéns pelo post.

    Curtir

  27. Silmara, querida! Passei aqui quase agora e já eram 136 comments; deu um pau na net, caí, voltei e já eram 137. Depois disso tudo, dizer o que? Talvez, que é incrível o tanto de gente esperando aquele pontapezinho para mudar a vida. Fiz minha primeira revolução aos 20 anos saindo de casa, ainda de cabelos longos; cortei geral aos 30 e não me arrependo de nenhum fio de cabelo tosado. A-mei o texto Sil. Um grande beijo.

    Curtir

  28. Olá Silmara!

    Por outro blog…acabei chegando aqui no teu blog….e ameeei. Estás adicionada na minha lista de blogs prediletos…e que acompanharei a partir de agora. Também gosto de escrever….mas é claro…não tenho a tua categoria!!
    Parabéns pela forma tão bonita e gostosa de escrever….tens mais uma fã!!
    Um beijo gelado (muito frio hoje aqui em Porto Alegre!!)

    Curtir

  29. simplesmete maravilhoso quem é rainha nunca perde a majestade ao escrever, e dizer coisas tão importantes com bom humor…estarei sempre lhe visitando.
    posso colocar vc como meu blog preferido?
    boas vibrações e aguardo uma visita

    Curtir

  30. Cara! Chapei o cabeção…me ensina a escrever igual gente grande, igual você?Acho que não preciso acrescentar nada ao que já foi dito, só preciso saber se você já lançou algum livro.Sou sua fã. Quem me indicou o texto foi uma amiga de blog, que colocou o link pra este texto. Maravilhoso.Parabéns.Depois desta fico até com vergonha de publicar os meus.Você escreve divinamente.

    Curtir

  31. Minha irmã me indicou seu texto. Me tocou bastante! É incrível como você chega tão fundo em tanta gente. É muito bom saber que tem mais gente com as mesmas dúvidas e angústias. O seu texto servirá de inspiração para muitas de nós virarem a mesa e começarem um nova fase. Muito obrigada! Parabéns!

    Curtir

  32. Sil, que texto lindo….. nada acontece por acaso… depois do sapato vermelho….marquei para cortar o cabelo ( bem curto, na proxima terça!!) agora acabei de ler seu texto…. vou seguir em frente.. esse com certeza será meu caminho.
    Beijos
    Obrigada pelas palavras sábias…Você é demais!!!
    Vamos batalhar um livro????
    Pense nisso!!

    Curtir

  33. Caríssima,
    já cortei os cabelos, comprei os vestidos, permiti o pernoite da namorada do meu filho, almocei no restaurante que eu adoro e beijei meus avós, durante uma sopinha, agora mesmo.
    Tou em busca do meu “galpão”… em breve, quem sabe!?

    Beijos e obrigada, obrigada, obrigada.

    Bela

    Curtir

  34. Adorei demais o texto. Garanto que não fui a única inspirada a mudar um pouco por aí. Lindo blog! Vou passar mais vezes por aqui, com certeza. Beijo beijo.

    Curtir

  35. Seu texto salvou meu dia! Eu ouso complementar… Aquela pessoa que você quer muito pra você, aquele pra quem você quer – sinceramente – todo bem do mundo, aquela pessoa que faz muito sentido na sua vida e pra quem você já chegou de peito aberto e corajosamente disse: Sinto sua falta!, chega e diz: Não, eu não quero nada com você. Não, eu não sinto a sua falta. Você olha pra ela(e) e diz: Dane-se!

    Que bom que a arte de juntar palavras delicadas são um remédio pra nossa alma. Super obrigada! Só mesmo muita delicadeza mesmo pra amenizar e tornar certas coisas mais leves…

    Suas palavras fizeram muito sentido para o meu dia de hoje! Obrigadão!

    Curtir

  36. Oi Silmara!
    Eu amei seu texto!! É lindo e inspirador! É o tipo de crônica que precisamos ler de vez em quando pra mexer no necessário. Desculpe por não ter incluido os créditos na publicação do meu blog! Mas já corrigi o descuido. Estou engatinhando na vida de blogueira e aprendendo aos poucos! Obrigada pela visita e delicadeza.
    Beijosss

    Curtir

  37. Achei fantástico!
    Por inúmeros motivos, mas principalmente, pela sua escrita muito gostosa. E, é claro, não poderia negar, por minha identificação. O corte de cabelo foi assim ( com mais um piercing), a chegada no trabalho, a chegada em casa ( invertida, explicações dadas à minha mãe) e a decisão de largar o emprego para fazer estágio na minha área, que é exatamente o que faço agora. Foi muito satisfatório ( e continua sendo) não ter esperado o terceiro tempo para virar a mesa.

    Parabéns pelo blog, já favoritei!

    bjks

    Curtir

  38. Silmara, tudo bom?
    Nossa, morri de vergonha quando li seu comentário no meu bloguinho… o mínimo que eu podia ter feito seria parabenizá-la aqui, não é mesmo?
    Então, como diria o velho ditado “antes tarde do que nunca”: Adorei seu texto, vc traduziu grande parte do que eu penso. Obrigada!
    bj

    Curtir

  39. Isso é agarrar o destino nas mãos, é fazer o nosso própio destino, e só fato de fazê-lo carrega em si uma grande dose de coragem o que certamente permitirá a quem o fizer chegar onde deseja.
    Parabéns pelo texto!

    Curtir

  40. Muito bonito e inspirado o texto… é sempre bom mudar e mudar para melhor. Sermos mais autênticos conosco… mais sinceros… mais verdadeiros!

    Eu também mudei muito e penso em continuar mudando.. gostando cada vez mais de mim. Parabéns pelo post. Muito bom. ^^

    Curtir

  41. Que soco no estômago!
    Eu fiz isso tudo, mudei o cabelo, a roupa, a atitude, o trabalho, o marido, passei a dar mais de mim para minha família.
    Estou jogando uma faculdade para o alto e fazendo outra completamente diferente. E me sinto bem, maravilhosamente bem!

    Linda escrita!

    Curtir

  42. foi você quem me mandou vestir flores há um tempo?
    pois todos os dias, desde então, eu tento vesti-las.
    e sempre que consigo, lembro do seu texto.
    queria só te dizer isso.
    e um obrigada também

    Curtir

  43. Silmara, obrigada em retribuir a visita, quanta gentileza! Que bom que você gostou do blog, é muito gostoso saber disso, ainda mais vindo de quem escreveu um texto tão lindo e delicado como “Brincadeira Séria”…
    Um beijo grande!

    Curtir

  44. Querida Silmara,
    fiquei muito feliz por vc ter respondido meu comentário e por ter passado lá no blog. Quanta delicadeza!
    Percebo que a delicadeza de seus textos é um reflexo de como vc é na realidade. Meus parabéns!
    Amo o que vc escreve, mas este aqui realmente me comoveu, até porque me identifiquei muito com o que li.
    Estarei sempre por aqui. Beijo grande e sucesso!

    Curtir

  45. Oi Silmara! Não gostei não.. AMEI!

    Seu blog já está cadastrado nos meu feeds.. não perco mais nenhum texto seu.

    Beijão e eu é que agradeço por proporcionar uma leitura tão agradével.
    Escrever é uma arte.

    Quando crescer quero ser igual a você… rsrs

    Beijo!

    Curtir

  46. Oi Silmara!obrigada por ter retribuído a visita!
    Espero que tenha gostado…o meu bloguinho é bem tímido,só uma tentativa de registrar as mudanças que venho experimnentando!
    Amei sei jeito de escrever!
    Fiva vom D’US!

    bjs,

    Ana Laura

    Curtir

  47. Silmara obrigada pela visita em meu blog, fiquei feliz em saber que vc não se chateou em eu ter publicado seu texto. Quis perguntar primeiro mas nao resisti, mas cuidei de colocar os creditos.
    Bjs

    Curtir

  48. Silmara,
    primeiramente parabéns pelo Blog e pelos textos tão inusitados!
    Eu ainda não conhecia o seu espaço, e se me permitires, estarei replicando seu texto no meu blog, com sua devida autoria;
    assim já te apresento aos meus amigos.
    Voltarei,
    1Abraço maiúsculo
    Lisa

    Curtir

  49. leio este texto, hoje, quando peço demissão depois de 10 anos…
    é isso aí. mas providencial não poderia ser.
    parabéns. excelente texto.

    Curtir

  50. PARABÉNS PELO TEXTO… SÓ NÃO DIGO QUE ME DESCREVEU… PQ NÃO NOS CONHECEMOS… MAS DESDE O DIA QUE COMECEI A VIVER DESSA MANEIRA AS COISA SE TORNARAM MAIS FÁCEIS!!!! E A VIDA INCRIVELMENTE MAIS FÁCIL DE VIVER!!!

    Curtir

  51. U A U ! Como não escrevo tão poetica e tão maravilhosamente como vc, não vou me atrever a deixar mais que um U A U. Apesar de merecer!
    Acabei de conhecer seu blog por causa da tbm incrível Chris Guerra, e tomei a liberdade de colocar seu texto no meu blog, devidamente linkado a vc, claro. Programei para entrar amanhã! Posso?
    Obrigada pelo deleite do texto,
    bj
    Jesus abençoe vc,
    http://coisasdasil.blogspot.com/

    Curtir

  52. Silmara!
    Um texto bem escrito sempre me alegra.Palavras são assim mesmo…mexem com a gente.Mas este teu texto, em particular,me fez chorar.E como disse uma outra moça ali mais embaixo,não de dor,mas de emoção.Acredito mesmo que reviravoltas de coragem na vida da gente nos tornem,se não melhores,pelo menos diferentes.
    Parabéns,mesmo!Agora venho te visitar sempre.Bjos

    Curtir

  53. Silmara, onde vc estava???? Aqui na web ??? E eu viciadíssima nessa tela não havia te achado ainda… naveguei por outros mares e me encontrei aqui… amei seus textos.. parabéns … me fez viajar por mares tão distantes e não sentir a labirintite que me acompanha com seu enjôo costumeiro (sempre as mesmas frases baratas das revistas de moda)….AAAMMMMMEI!!!!

    (tô fã e não vou te deixar mais…)

    Curtir

  54. OLHA EU QUASE ME ENQUADREI NESSE TEXTO HOJE, FUI ALMOÇAR E VOLTEI COM AS UNHAS AZUIS. FOI UM REBOLIÇO NO TRABALHO. É CHATO AS PESSOAS NÃO RESPEITAM OS SEUS GOSTOS. EU ACHO QUE É PORQUE ESTOU JÁ COM OS MEUS 47 ANOS. BOBAGEM NÉ??? EU QUERIA REALMENTE FAZER TUDO ISSO QUE DIZ O TEXTO. QUANTA CORAGEM.

    Curtir

  55. Olá Silmara! Acabei de completar 40 anos e amei este texto porque ele simplesmente traduz tudo que tenho vontade fazer hoje. Você me deu coragem!! Seu blog já está na minha lista dos “favoritos”. Bjão da tia G. (www.tiagenuina.blogspot.com)

    Curtir

  56. oi Silmara, caí em seu blog de paraquedas e chorei!!! Não de dor, mas de emoção mesmo de ler algo que mexeu tanto comigo…

    E como este texto cai bem e completa o texto do Quintana que eu postei hoje… Vou postar este lindo texto, esta obra prima feita por vc em meu blog, com os créditos,ok?
    E vou colocar o “Fio da meada” nos meus favoritos.

    Abraços, tudo de bom.

    Curtir

  57. Olá Silmara. Mas que texto mais oportuno!!! Estou justamente passando por uma reviravolta… rs. Tinha cabelo comprido, mas gosto mesmo dele curto, então tosei faz 10 dias. Meu emprego me enloquecia, então larguei faz um mês. Seu texto me caiu como uma luva… rs. Cheguei no teu blog pelo blog da Cris, eu tb tenho um, quando der faça uma visitinha. Queria te pedir se posso publicar um trechinho do teu texto, devidamente creditado, no meu blog, como um link para os leitores virem ler o texto todo aqui, no seu blog. Posso? Fico aguardando. Muito obrigada e parabéns pelo talento de escrever tão gostoso. Bjus Monica

    Curtir

  58. Que delícia ler esse texto aqui. Parabéns, Sil.
    Adorei e já adicionei o seu blog no meu favoritos.
    Um beijo bem grande.

    Curtir

  59. Caramba!!! Eu to emocionada lendo isso aqui… meus olhos estao cheios de agua e estou segurando para elas não cairem!!!!!!!!
    Parabens. E obrigado.

    Curtir

  60. Silmara,
    Caraca! Senti-me a própria personagem da sua história. Algumas vezes, fazendo de conta, pq ainda faltam alguns passos mais corajosos, é claro, e o texto é inspirador. Outras vezes… tudo verdade: corte de cabelo, banho de loja e a decisão final – querer viver das minhas criações – bolsas e badulaques (registrado dia e hora no meu blog, por sinal! hehe).
    Parabéns, o texto é lindo, a mensagem é inspiradora, coisa que faz a gente se sentir mais forte por dentro.
    Beijos,
    Sil.

    Curtir

  61. Olá, Silmara!
    Cris do hojevouassim “nos apresentou”… Muito prazer!!! Uma alegria te ler!!!
    Beijos, Maíssa
    Belém – Pará

    Curtir

  62. Bom dia!!! Eu também sou mais uma que acompanha o Hojevouassim e vim aqui pra ler o seu texto! Parabéns, muito bem feito! Já coloquei no meu blog como dica!

    bjos e faça um bom dia!
    Mi

    Curtir

  63. Cortar os cabelos e os vestidinhos curtos…. ser bonita só pra você!!!
    Ah moça, você sabe das coisas!!!
    Lindo lindo!!!!!
    Ta linkada no blog já… mais gente precisa apreciar a sua beleza!!!
    Bjo
    Marianne

    Curtir

  64. Eu leio o blog da Cris… Eu leio muitos blogs… Alguns com muita freqüência… Outros diariamente (como o da Cris por ex)… Eu leio utilidades e inutilidades… Leio ate bula de remédio… Eu sou assim gosto muito de ler… Ontem to eu lá (novamente e de novo) no blog da Cris, já era fim de noite e tinha um link indicando pra cá… E se a Cris indicou a gente vai lá conferir néh, fazer o que, a mulher tem moral comigo, confio nela e tal rsrsrsrsrs.
    Surpreendo-me com este texto tão incrível… E tão simples… Que me levou a reflexões profundíssimas de minha vida… E sobre tudo que eu deixei e deixo de fazer todos os dias… E de como a gente tem medo de tomar decisões… De como a gente prefere muitas vezes a cômoda linha do “encimadomuro”… É confortável não ter que decidir nada… Seguir a letra da musica do Zeca Pagodinho como lema da sua vida… “Deixa a vida me levar, vida leva eu…”
    Obrigado pelo texto… Peço permissão para colocar algumas frases no meu Orkut (com os devidos e merecidos créditos logicamente)… E comunico desde já que já adicionei aos favoritos e olha só você ganhou uma nova leitora…
    Mandei o texto a todas as minhas melhores amigas por email e claro pus o link pra elas virem te fazer uma visita…
    Agora deixa eu ir que isso aqui não é mais um comentário e sim um post anexo ao post…

    Beijo pra você Silmara Franco

    Curtir

  65. Ô Cumadra, tu sabes da coisas, todas.

    Bom humor, poesia, respiração, ritmo, quase musica.

    Sutil, como o crescer daquele grão de feijão no algodão que a gente olhava pela manhã. E, de repente…

    Quase melhor que vasculhar e “escrutinar” (rs) tua cabeça eventualmente tosada, é saber com quantas palavras se faz uma revolução no cabelo alheio.

    Se é que eu possa desejar alguma coisa, desejo, mais e mais, que um bando de meninas, moças e senhoras de cabelo curtinho, momentaneamente desempregadas, venham a ser tocadas e tosadas pela vida a fora.

    Tu devia era estar escrevendo roteiros pra curtas e longas ou, até, desenhos animados experimentais…rs

    Por exemplo: Era uma vez uma menina que olhando pro feijão…

    Bejuca.

    Beto

    Curtir

  66. Que texto! Adorei os passos dessa mulher corajosa…
    eu era uma bobona, Si, ainda sou, mas desde que aprendi a dizer nao, as coisas tem melhorado bastante. Profundamente.

    Nao aceito mais certas coisas, e isso é uma liberdade impressionante. Mas acho que isso, quem ensina, é o passar dos anos.

    Um beijo querida, e obrigada por mais um belo texto. Vc nos faz pensar…

    Curtir

  67. Que delícia! Fiz isso (tudo não, mas quase!) e não me arrependo um segundo! Super recomendo, aliás. Foi muito gostoso ler esse texto lindo, faz bem lembrar das coisas boas pelas quais passamos e das decisões acertadas que tomamos.
    Encorajador! E lindo.
    Obrigada pelo presente
    Beijinho

    Curtir

  68. Eu nunca tinha vindo aqui, mas acabei de me apaixonar.
    Se me permite colocarei seu texto no meu blog, com devida autoria, elogios a você, a autora, e agradecimentos pois você salvou meu dia.

    da sua mais nova fã: Fê.

    ps:apertei o botão de “enviar” fora de hora, então desculpa pelo comentário pelas metades aí embaixo.

    Curtir

  69. Eu nunca tinha vindo aqui, mas acabei de me apaixonar.
    Se me permite colocarei seu texto no meu blog, com devida autoria elogios a você, a autora, pois é disso que estou precisando..VIVER!

    da sua mais nova fã: Fê.

    Curtir

  70. Olha… Eu adoro tudo o que você escreve. Seus textos sempre criam imagens na minha cabeça. E assim, pra mim, são os bons textos. Do tipo que saem das linhas e vão brincar ao nosso lado.
    E nesse texto você me deixou sem ar. Sem fôlego. Com vontade de sair gritando loucamente pela rua. Porque, por mais que a gente seja feliz, sempre tem algo que queira mudar. E não muda. E vai deixando pra trás.
    E eu queria ser assim, igualzinha sua personagem. Dela, só tenho o cabelo curto. E me deu uma vontade sem tamanho de comprar o vestidinho e me libertar de certas amarras. Porque a ficção é boa quando a gente pode fazer dela um pouco real…
    Enfim. Mais uma vez, parabéns pelo texto!
    Um abraço!

    Curtir

  71. Muito lindo !!!!!!!!!
    Não importa se é só faz de conta ou de verdade … com certeza vai se tornando verdade verdadeira.
    obrigada.

    Curtir

  72. Menina, esse texto a gente tem que guardar a vida toda e de vez em quando ler… tem que mandar imprimir e mandar plastificar e pendurar na porta do quarto como se fosse uma oração !!! As vezes a gente vive uma vida inteira fazendo o que “todo mundo acha certo”, as vezes a gente vive
    “fazendo de tudo pra agradar aos outros”, enfim, a gente passa a vida infeliz fazendo a felicidade só dos outros… Ufa !!! Quase perdi o ar com tudo isso. Vc é grande, uma grande escitora, uma grande mulher. PARABÉNS !!! Tô apaixonada por tuuuuudo que vc escreve. Beijos querida e boa noite
    P.S. outra vez vou dormir pensando no que li…

    Curtir

  73. Oi, Silmara!

    Pois bem, quem sou, às vezes, também não sei. Por vezes sou só a Marcella. Mas todas as outras que existem em mim passaram a gostar de você num instante só. Certa vez passei por aqui, li coisas que achei tão minhas que jamais consegueria externá-las. E aí achei que não poderia lhe perder de vista, pelo menos por aqui. Achei suas palavras incríveis e que seria bom sempre lê-las, então coloquei seu link lá perto de meus solilóquios sim. Passarei por aqui sempre, saiba.

    .. beijos tantos!

    Curtir

  74. Boa noite Silmara, me tornei um assíduo do seu blog.
    gosto das suas palavras e as acho muito bem escritas, sempre.

    Obrigado por nos presentear com seus textos sempre tão interessantes.

    gostei do que escreveu e imaginei cada detalhe em alguma personagem que conheço e que poderia fazer dessa brincadeira, algo real também.

    grande abraço.

    Curtir

  75. Acontece é que quando a gente faz isto tudo, depois de um tempo, o novo vira velho de novo. Eu fiz tudinho isto daí, não necessariamente nesta ordem, não deste jeitinho, mas fiz: o cabelo, a demissão, a roupa, a mudança, o sonho, as nuvens, do inferno ao céu e do céu ao inferno (e não foi só uma vez).
    Agora, tudo está velho de novo. O cabelo cresceu, o sonho mudou, o vestido desbotou, só não perdi o jeito de dar uma dura no ‘dono da rua’.
    O bom é que uma vez que se tem coragem de fazer isto tudo, nenhum brilho desbotado nos segura – como não me segurou das outras vezes.

    Curtir

  76. Sil, descupa..mas me deu vontade de te chamar assim….que intimidade, né
    Afe! desculpa, de novo….rs.. Descobri seu blog, porque vi no twiiter da cris guerra. Seu texto foi como uma porta no meio da minha cara. Tudo que eu precisava ler hoje! Eu, como diretora de arte, preciso urgente virar minha mesa e virar fotógrafa de vez!

    Obrigada!Berjocas das montanhas.

    Lucinha.

    Curtir

    1. Lygia, tentei responder para você, mas parece que seu email está com problemas. Anyway, muito obrigada por sua mensagem. Um beijo, Silmara Franco

      Curtir

  77. Obrigada por este presente maravilhoso! Estou exatamente nessa fase da vida, de pode, sim, queime, risque, mude, quero, vou, consigo… faça valer a pena!

    Curtir

  78. Fiquei emocionada com o seu texto, grande presente de fim do dia!! Tenho certeza que ainda vou relê-lo muitas vezes… Para ter força!

    bjos e parabéns!

    Curtir

  79. Inspirador. Realmente inspirador. Daqueles que nos fazem pensar nas coisas que podemos fazer e que vamos adiando. Ou não temos coragem, ou nos falta o pingo d’água chamado “impulso”.
    Realmente me fez pensar e praticar o que, até então, só é imaginação.

    Inté.

    Curtir

  80. Menina! Quanta beleza nestas palavras!
    Brincadeira tão séria, tão sincera, tão doce, tão inspiradora… Tanto!
    Tudo intenso, verdadeiro. E saber que o desejo pulsa em cada um, tão diferente e tão igual. Tão seu!
    Vontade mesmo de cortar os cabelos há alguns dias, literalmente… ver o mundo de outras perspectivas. Novos olhos!
    Um grande beijo

    Curtir

  81. Nossa, agora, botando um reparo nos dados da autora, vi que é publicitária, sabia q era familiar… rsrs

    Hj vou passar rápido por Campinas, pra pegar o bus pra ir lá pra casa da Rosana, do Guaraná, olha que coisa boa…

    Bom saber q vc mora aqui pertinho de mim e q nem todas as pessoas q escrevem bem ou são interessantes moram laaaaaa longe…

    moro em São João da Boa Vista, já ouviu falar?

    Tomara q a gente se esbarre algum dia, pra trocar umas palavras faladas e abraços de verdade.

    Beijão.

    Curtir

  82. quando ‘encurtei’ o cabelo foi em um dia assim, fui e falei: tosa.

    Esses dias tenho sentido a necessidade de um ‘rebuliço’ construtivo na minha vida, essa sensação estacionária tem me consumido.

    Obrigada por essas palavras, elas dão fôlego e hj vieram a calhar.

    Bjo, querida!

    Curtir

  83. Ai ai ai Sil…
    quantas vezes a gente tenta vira a mesa, mas bem d e v a g a r i n h o pra não derrubar nada no chão… e sabe que é humanamente impossível… inevitavelmente algumas coisas se quebram, derramam e se perdem. E quando nos colocamos no lugar dessa mulher, nos sentimos revigoradas, pra não dizer, vingadas… eu tô tentando fazer o que gosto, me dedicar sem culpa a algo que pode não dar grana, mas me dará realização pessoal, uma coisa tão fácil de querer e tão difícil de concretizar nos dias de hoje… já cortei os cabelos…

    beijinho
    Sil

    Curtir

Quer comentar?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s