Oh Lord, won’t you buy me a Mercedes-Benz?

Arte: Jim Devlin

Se você anda irritadiça, raivosa ou está pelas tampas, não convém assistir TV, muito menos ligar o rádio. Poderá topar, a qualquer instante, com um anúncio de feirão de carros. E, esteja você interessada ou não em adquirir ou trocar seu bólido, fique certa: o apoteótico clima do comercial a levará a um quadro de confusão mental, e você terá ímpetos de jogar a mãe do trem, matar a família e ir ao cinema depois.

A locução, sempre apressada, e a trilha sonora, infalivelmente nervosa, somam-se, no caso da TV, ao abuso do zoom in e zoom out e toda sorte de efeito gráfico. De estética acintosa, os típicos anúncios de feirões deveriam ser vetados pelo Conar e entrar na categoria dos alucinógenos, sendo, inclusive, proibidos pelo Ministério da Saúde.

Em algum lugar do passado, o lado sombrio da publicidade convencionou que, para fazer sucesso e aumentar as vendas no varejo, anúncio de carro deveria ser ruidoso e frenético (ao mesmo tempo), para despertar no potencial, porém desavisado, consumidor o súbito e irreversível desejo de comprá-lo. Ora, pessoas compram carros porque precisam deles, e não porque nãopodeperderessaoportunidadevaisernessedomingocorra!

Mas o cidadão de bem, zonzo, acaba indo ao evento. Sai de lá com um veículo financiado em 72 meses, com taxa de juros de 20% ao ano, crente que fez um ótimo negócio. Ao seu redor, carros suspensos por guindastes, música estridente, pipoca, malabaristas. O feirão virou circo; adivinha quem é o palhaço.

E tudo começou com uma inocente mensagem, tão curtinha – trinta segundos, só.

About these ads

2 comentários sobre “Oh Lord, won’t you buy me a Mercedes-Benz?

  1. Difícil opinar…MInha filha trabalha em seguradora e meu genro (um não é par do outro) trabalha com o malfadado financiamento, dentro de um banco de renome. Quer dizer, eles agradecem aos compradores. Mas eles mesmos sabem o quanto está frenética demais a coisa, só não sabem onde vamos parar, com cidades entupidas de automóveis e piorando tudo, motoristas incompetentes e irresponsáveis. Infelizmente nenhum dos dois pode se dar ao luxo de mudar de emprego, mas bem que gostariam. rsrs

    Gostar

  2. Hehehehehehehehehehehehehehehehehehehehe…. Gostei de seu texto, como sempre. Detesto anúncio de carros. Já reparou que nos anúncios as estradas/ruas são sempre vazias? As paisagens belíssimas. As pessoas bonitas e desestressadas. Uma mentira só. Mas tem tanta gente se iludindo e comprando o carro pensando estarem à comprar o paraíso. beijos.

    Gostar

Quer comentar?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s