Mamão papaya

Ilustração: Mars

Não posso passar perto de mamão papaya em dia de sacolão. Compro. O ritual de colocá-lo na cestinha, levá-lo para casa e acomodá-lo na fruteira representa o meu desejo de ser uma pessoa mais saudável. De me alimentar melhor, emagrecer, acordar cedo, voltar a caminhar na lagoa, ser mais gentil e paciente, chegar aos cem anos fazendo tai-chi-chuan na beira da praia com o nascer do sol. O mamão papaya é a minha promessa de ano novo, sacramentada toda semana. Sepultada quando, de longe, o avisto apodrecendo na fruteira. Ah, não. Fiz de novo.

Para ajudar no cumprimento da promessa, de tudo já tentei. Transferi a fruteira de lugar, para não perdê-lo de vista. Guardei-o na geladeira, para não perdê-lo prematuramente para os fungos. Arrumei um prato bonito para servi-lo no café-da-manhã. Mas ele sempre retorna intacto ao seu posto. O mamão papaya perde para o pão com requeijão. O Sucrilhos. O bolo de fubá. A granola com sua colega, a banana. Para azedar tudo de vez, aqui o mamão só tem a mim como simpatizante. Se ele não for meu, não será de ninguém. Melhor dizendo: será das minhocas que habitam a composteira recém-instalada no quintal. Sim, tenho novos inquilinos. Ideia do marido, que resolveu dar uma mãozinha para a sustentabilidade do planeta. Ou represália, por conta dos bichos da rua, bem maiores, que vivo trazendo para casa. Torci o nariz: as minhocas ou eu. Elas ficaram. Eu também. São boazinhas, reconheço. Não fazem barulho, não saem de seus aposentos, não arrumam encrenca. Quase invisíveis. E comem quase todos os nossos restos. Devem vibrar quando o papaya, inteirinho, cai lá.

Mamão, na minha família, é como um parente bem-vindo, inteligente. Respeitado, até. Mas que ninguém quer muito papo. Ninguém dá muita bola. Fica de lado, esquecido, apesar de todos reconhecerem seu valor. Segue decompondo-se na solidão enquanto todos vão para os pratos – bananas, laranjas, mexericas, mangas, até o exótico gengibre – , menos ele. O último resistiu cinco dias em completo abandono. Escondido sob os limões, que também não saíram para passear naquela semana. Mais resistentes, estes conseguiram aguardar o dia de fazer companhia ao badejo. O frágil papaya, no entanto, já se encontrava em adiantado estágio de putrefação. Um cadáver vegetal. Duvidei da felicidade das minhocas quando o viram. Meu projeto de vida longa era, mais uma vez e literalmente, enterrado.

Semana que vem, eu sei, farei tudo de novo. O homem se distingue dos demais animais, dentre tantas coisas, pela capacidade de ter esperança. Bicho não sabe o que é isso. Com as minhas renovadas, escolherei um exemplar bem firme, dum alaranjado vivo. Cuidarei para que não esteja, e nem fique, machucado. Eu o colocarei sobre as outras frutas, papayas são sensíveis. Determinada, iniciarei um diário e registrarei: hoje comi mamão. Darei o passo definitivo em direção aos meus cem anos, ao tai-chi-chuan na praia. Daqui sessenta anos serei, então, entrevistada por um repórter curioso, ávido por descobrir o segredo da minha longevidade. Contarei que dia sim, dia não, ao longo da vida, dei casca – só a casca – de papaya para as minhocas comerem. Basicamente isso.

Anúncios

21 comentários sobre “Mamão papaya

  1. Haahaha chegar aos 100 anos fazendo tai-chi na praia….Tb eh meu sonho!
    E concordo a gente soh come se ele eh colocado num lindo prato, ja cortado, como nos fantasticos buffets de cafe da manha de hoteis paradisíacos…

    Curtir

  2. Aqui em casa o pobre coitado também tem ocupado segundo plano….
    Quer uma dica? Faz vitamina com ele; é uma delícia!
    Beijos!

    Curtir

  3. Sil, pior do que perder o mamão, trocando-o por sucrilhos e bolo de fubá, é comê-lo com açúcar como faz meu marido…rsrsrsrs O bendito já é tão docinho, perfeito…. Isso é que é se enganar achando que esta fazendo uma dieta saudável…hahaha Nós aqui já tivemos a composteira…. Faltou-nos tempo, porém, para continuar a cultivá-la como ela merece e precisa….absurdo, mas também fazemos promessas de que vamos melhorar nossa qualidade de vida….rsrsrsrs

    Curtir

  4. Sil, aqui em casa a manga rosa faz companhia ao mamão papaya toda semana. Marido compra os dois TODA SEMANA, e NUNCA come. Eu não gosto de mamão (acho que tem gosto de cocô, embora nunca tenha comido cocô) e tenho preguiça de comer manga, pelos fiapos que ficam nos dentes e sangram qdo passo fio dental. As duas frutas que não deixo perder são banana (amassada com linhaça e neston) e maçã (sempre dentro da bolsa, pra comer na hora do desespero).

    Acho que vou aproveitar que estou de “secretária nova” e encarregá-la de dar fim nos dois, seja fazendo suco ou salada de frutas. juntando com as maçãs e bananas.

    Beijo!

    Curtir

  5. É exatamente assim. O mamão papaya deve ter uma crise de autoestima. Ou, no mínimo, uma confusão na sua cabeça: por que todo mundo me acha bonito e gostoso, mas me deixa jogado às traças? Opa! às minhocas?

    Curtir

  6. Nossa, exatamente o que acontece comigo! Compro o mamão e nunca como.
    O sanduíche, o iogurte, tudo tem mais preferência na hora de serem digeridos! hehe

    abs, você é ótima!

    Curtir

  7. he, he…Esqueci:
    Quando ficar famosa e for entrevistada, respondendo sobre o segredo da sua beleza e longevidade, não esqueça de contar que foi a minha dica, que mudou sua vida! ( rs)

    Curtir

  8. Que novidade boa, hein? ( Que está escrevendo o livro e não, que tem deixado o papaya estragar. rs)
    Sabe o que eu acho que deva ser o problema (pra que não se sinta tão culpada)?:
    As frutas, hoje em dia, estão pegando o costume de gente: são mais bonitas por fora, que por dentro. Ou vai dizer, que todo belo mamão levado pra casa tem a doçura esperada?!
    Na maioria das vezes, somos seduzidos por sua beleza( e na arte da dissimulação, eles são peritos!)! Sempre o levamos, com a certeza: este sim: é dos bons! Quando o abrimos, que decepção! Aquele amarelo, pálido!…
    Quer uma dica pra comê-lo, sem culpa(pois sofro do mesmo “mal”)?
    Aprendi uma receita que usa mamão e aveia( pra parecer saudável e ajudá-la a viver mais 100 anos!).
    É batata! Quer dizer: é mamão, maquiado com canela, cravo e açúcar mascavo, que você manda pra dentro, rindo! rs
    Agora, se vai viver mais, por isso?…Ao menos, esta preocupação não vai encurtar sua vida. rs
    Abraço!

    Curtir

  9. Silmara, que saudade de passar por aqui! Como sempre, seus textos maravilhosos fazendo uma luzinha de alegria se acender em mim…
    E que felicidade ler ali em cima que você está produzindo seu livro!
    Um beijos grande!

    Curtir

  10. Ah, o mamão e seus mistérios… Para alongevidade, deixe o papaya para as minhocas mesmo e se jogue no formosa, por causa do colesterol que dizem ter o papaya.

    E em vez de tai chi, que é lindo, proponho Chi Kung, ainda mais etéreo.

    Espero vê-la aos cem anos passeando de beetle amarelo ouvindo Elis no último, mesmo que seja do lado de lá.

    beijos sempre

    Paula

    Curtir

  11. Silmara, estou aqui de boca aberta… te descobri através do blog da Dani do Edredons Fotos e Listras”, e o texto ” Brincadeira séria me tocou profundamente, agora tenho seu blog nos meus favoritos, vc é abençoada!
    PArabéns
    bjocas

    Curtir

  12. Querida!!!
    Que delícia de texto!
    Eu tb achei que só nós, lá de casa, faziamos isso… ahahaha
    bjssssssssssssssssss…

    Curtir

  13. Oi Sil,

    adoro mamão papaya, mas, também costumo colocar metas nas frutas, metas de me fazer mais magra, porém, nem sempre consigo.
    Adorei o texto,
    bjssssssss

    Curtir

  14. Ah não!!!! E eu aqui sofrida, doidinha pra comer um mamão docinho, firme, com aquele alaranjado que só o mamão tem! Os daqui são enormes (como tudo nessa terra), porém sem doçura e sem cor! Eles vem de algum lugar da América Central e saem de lá tão verdes pra poder aguentar os perrengues da viagem, que quando chegam aqui não tem sabor. Entao, Silmara, da próxima vez que vc comprar um mamão lembre-se que tem gente por aí nesse mundão que daria tudo por um mamãozinho.

    Curtir

  15. Genteeeeee, que tudo. Tenho o dom de deixar mamão perder. Nem todas as vezes; se há banana e abacaxi eu faço bem uma salada, mas se há o meu fica em estado pior que os seus, pois aqui tem minhoca não.

    Uma boa sugestão é pedir que alguém corte o mamão de jeito bonito e já deixe num pratinho pra você, assim, como se fosse num hotel dqueles chiquetérrimossssss… Cola.

    Curtir

  16. Sil linda,
    você é fofa demais.
    Sabe quem come papaya praticamente todos os dias??? A Lê. Desde pequetita.
    Pelo menos ela vai viver cem anos.
    Beijocas.
    Ana Paula

    Curtir

  17. Incrivel !!! pensei que isso acontecesse só comigo, parece que vc captou meus pensamentos. hahahaha!!! texto maravillhoso, parabéns…..perfeito !

    Curtir

Quer comentar?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s