O que quer o homem que ultrapassa

Da série “Veículo curto”, 2012 – Simone Huck

Só ele ouviu o disparo imaginário do tiro de partida: engatou a primeira, a segunda, costurou, ziguezagueou. A lanterna traseira de seu bólido acendeu cinco vezes em menos de vinte segundos. Tanto esforço para nada: acabou em penúltimo lugar na prova dos cem metros nada rasos do quarteirão encalacrado. Conquistou morno segundo lugar na pole position do sinal fechado.

Afinal, o que quer o homem que ultrapassa? Salvar o planeta, pegar a padaria aberta ou fazer xixi?

A ultrapassagem rápida e feroz preenche sua rotina de ideias lerdas e inócuas. A descoberta da velocidade lhe é soberana à da roda. Missão: ultrapassar o impossível. Quebrar recordes invisíveis. Nascer a cada esquina, parido pelo motor dos duzentos cavalos selvagens e esfomiados. Chegar primeiro ao infinito e além, mais conhecido como nada.

O homem que ultrapassa participa da corrida sem prêmio, encara desafio sem competidor, vive da glória sem devoção, da fama sem fã. Viciado em tempo, tem fantasias com o podium, delira com a linha de chegada que teima em lhe escapar. Morre na praia.

Estamos, ele e eu, sob o mesmo céu, sobre o mesmo asfalto a nos sustentar. Todos de passagem.

Talvez seja um homem sem quereres, feito de estares: à frente, ao alto, avante, em eterna vantagem. Para construir, em prazo recorde, a breve história de seu dia. O que você quer, homem de Deus, ao deixar o mundo para trás? Se nem conhece o que vem pela frente.

Perco de vista o homem que ultrapassa. Apressado, se foi no sumidouro da avenida, desapareceu da minha crônica.

Talvez, no fundo, ele tenha a valentia que me falta, a ousadia que não me pertence. A coragem de que não sou feita. Sou o seu veículo longo. Freio é medo.

Ultrapassada estou.

Anúncios

4 comentários sobre “O que quer o homem que ultrapassa

  1. Sempre me pergunto o que pensa aquele que ultrapassa e dias desses, vi uma cena que levei algum tempo para assimilar. Parecia um filme e eu a espera de um replay. O carro em que estava foi ultrapassado por um outro veículo cujo ocupante reclamou, esbravejou e usou todo o seu armamento de palavras indóceis. Mais a frente. Vinte e três de maio. Quase nove horas da noite, ele havia se chocado com um daqueles pilares. Perdeu o controle do carro. Tudo isso a minha frente. Não sei o que houve com ele, mas isso ficou comigo durante dias…

    Agora, quanto ao final da sua crônica, eu me acho ultrapassada desde sempre. rs
    bacio

    Curtir

  2. Eu vejo uma explicação entre várias possíveis: existem pessoas que não são capazes de ver ninguém à sua frente! Bjs, Tereza

    Curtir

  3. Silmara, certamente que há de ter uma explicação para as atitudes desses loucos ao volante. Uma pressa que não leva a lugar nenhum. Não economiza tempo, antes desperdiça a vida, com a adrenalina à solta, o stress à mostra. Sei não. Só sei que, no fundo, são pessoas problemáticas. Por que se adoram a velocidade, simplesmente, uma rua ou avenida ou estrada não é seu lugar. Melhor procurar uma pista para corridas. Beijo!

    Curtir

  4. Eu sempre achei que este homem que ultrapassa deveria ser preso por porte ilegal de arma …. porque neste caso, o carro é uma arma!

    Nunca pensei que esta atitude “preenche sua rotina de ideias lerdas e inócuas.”
    Fantástico!!!!!

    Bjs
    Rose

    Curtir

Quer comentar?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s