Verbo familiar

arte: Juliana Moraes
arte: Juliana Moraes

Agendar consulta das crianças na pediatra. Inspecionar orelhas do mais velho. Desembaraçar os cabelos da mais nova. Tirar dente mole dos dois.

Comprar os remédios do meu pai. Certificar-me que suas meias e cuecas estão em ordem. Levá-lo para cortar os cabelos e, na volta, passar no mercado para ele comprar bolachas.

Da matrioska, sou a boneca do meio. Cuido da boneca de fora, a que veio antes, e de onde vim. Cuido das que vieram depois, saídas de mim.

De mim, quem cuida?

Eu mesma agendo minhas consultas e nos dias marcados pego meu carro e vou. Lavo minhas orelhas, decido meus cabelos e, sem ninguém mandar, escovo os dentes – surgidos, tanto tempo atrás, em substituição aos meus moles. Não preciso de remédios; precisasse, os tomaria na hora certa. Determino o que entra e o que sai de meu guarda-roupa. Administro minhas próprias bolachas.

Encravado entre a infância e a velhice, o adulto é a peça autocuidante. No meio do jogo, é o presente, cuidador de si, do futuro e do pretérito.

O futuro, da vida, pensa que sabe tudo.

O pretérito sabe, efetivamente, tudo. No entanto, em triste gerúndio, vai se esquecendo.

O presente arde no desejo imperativo de tudo saber. Efetivamente, nada sabe.

São todos imperfeitos.

E isso é infinitivamente mais-que-bonito.

Anúncios

6 comentários sobre “Verbo familiar

  1. Silmara, que texto lindo. Infelizmente cada vez mais a boneca do meio se desvincula das suas sucessoras e das bonecas cuidadoras do passado. Principalmente aqui onde moro, o que se vê aos montes é a politica do “cada um por si”…

    Que um dia alguém me traga bolachas…

    Curtir

  2. “Ninguém tem paciência comigo…”, já dizia o menino Chaves… rs Ainda bem que estamos na fase do ainda-posso-cuidar-de-mim-sozinha. rs Mesmo assim, sempre queremos colo. Eu me dou, em forma de dizer “não’, que só agora estou aprendendo. Depender de terceiros é ruim demais, Deus nos livre disso!
    Beijo, Silmara.

    Curtir

  3. Sil, que doçura e que composição verbal!!!
    Outro dia me vi perguntando isso: Tenho que ter paciência com meus pais, porque são meus pais. Com meus filhos, porque são meus filhos. E quem tem paciência comigo???

    Curtir

Quer comentar?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s