Arquivo da categoria: Outras coisas

Hoje não tem, mas tem.

Caros leitores

Hoje não tem crônica nova. Na minha página no Facebook, repostei o link para outro texto, publicado aqui em 2010: Carta para a amiga que foi embora. Essa carta já foi vista quase dez mil vezes (é o segundo post mais lido do blog). Gosto de imaginar que é ela, do lado de lá, que fica relendo… 

Trechinho:

(…) Recebi a notícia dias depois. Sua mãe contou para minha irmã. Que falou para o meu marido. Que me contou. Lembrei de nós duas no pátio da escola, trinta e tantos anos atrás, brincando de telefone sem fio. A graça era quando o último entendia um absurdo qualquer, diferente do que o primeiro havia falado. Naquele dia, eu fui a menina da ponta. E entendi certo. Não valeu. (…)

Beijos e até sexta!

Silmara

Anúncios

Meu primeiro livro!

“O primeiro ISBN a gente não esquece”.

Pessoas queridas: publiquei meu livro!

Não é o das crônicas deste blog, ainda. É sobre internet. Traz um pouco de história, fala sobre as gerações X, Y e Z, ética, netiqueta, a nova linguagem, curiosidades e, principalmente, os ‘perigos’ que rondam os jovens internautas. A ideia é ajudá-los a entender como a rede funciona, para que naveguem com segurança e sem cair em roubadas.

Sob a batuta de Januária Alves, o livro faz parte da Coleção Informação e Diálogo da Editora Moderna, recomendada para a moçada do ensino fundamental II. A coleção conta com mais um título – “O que você quer ser quando crescer” -, da amiga Dinah Salles de Oliveira, sobre trabalho e empreendedorismo (tem crônica minha lá).

Já, já, em todas as livrarias do país. E, tomara, na sua estante e no seu tablet também.

Nota: semana que vem as crônicas voltam!

Férias!

Queridos, queridas

Fui ali e volto já.

Quer dizer, volto em janeiro de 2012. Que não será o ano do fim do mundo, mas o ano 4 do Fio da meada (nem eu acredito). Tem mais de trezentos textos aqui. Aposto como tem algum que vocês ainda não leram.

Até lá, vou dando as caras no Facebook.

No mais, desejo que todos reinventem seu Natal e virem o ano com toda alegria possível.

Um beijo, dos grandes, em cada um.