Oh Lord, won’t you buy me a Mercedes-Benz?

Arte: Jim Devlin

Se você anda irritadiça, raivosa ou está pelas tampas, não convém assistir TV, muito menos ligar o rádio. Poderá topar, a qualquer instante, com um anúncio de feirão de carros. E, esteja você interessada ou não em adquirir ou trocar seu bólido, fique certa: o apoteótico clima do comercial a levará a um quadro de confusão mental, e você terá ímpetos de jogar a mãe do trem, matar a família e ir ao cinema depois.

A locução, sempre apressada, e a trilha sonora, infalivelmente nervosa, somam-se, no caso da TV, ao abuso do zoom in e zoom out e toda sorte de efeito gráfico. De estética acintosa, os típicos anúncios de feirões deveriam ser vetados pelo Conar e entrar na categoria dos alucinógenos, sendo, inclusive, proibidos pelo Ministério da Saúde.

Em algum lugar do passado, o lado sombrio da publicidade convencionou que, para fazer sucesso e aumentar as vendas no varejo, anúncio de carro deveria ser ruidoso e frenético (ao mesmo tempo), para despertar no potencial, porém desavisado, consumidor o súbito e irreversível desejo de comprá-lo. Ora, pessoas compram carros porque precisam deles, e não porque nãopodeperderessaoportunidadevaisernessedomingocorra!

Mas o cidadão de bem, zonzo, acaba indo ao evento. Sai de lá com um veículo financiado em 72 meses, com taxa de juros de 20% ao ano, crente que fez um ótimo negócio. Ao seu redor, carros suspensos por guindastes, música estridente, pipoca, malabaristas. O feirão virou circo; adivinha quem é o palhaço.

E tudo começou com uma inocente mensagem, tão curtinha – trinta segundos, só.

About these ads

2 responses to “Oh Lord, won’t you buy me a Mercedes-Benz?

  • Lúcia Soares

    Difícil opinar…MInha filha trabalha em seguradora e meu genro (um não é par do outro) trabalha com o malfadado financiamento, dentro de um banco de renome. Quer dizer, eles agradecem aos compradores. Mas eles mesmos sabem o quanto está frenética demais a coisa, só não sabem onde vamos parar, com cidades entupidas de automóveis e piorando tudo, motoristas incompetentes e irresponsáveis. Infelizmente nenhum dos dois pode se dar ao luxo de mudar de emprego, mas bem que gostariam. rsrs

  • arianna

    Hehehehehehehehehehehehehehehehehehehehe…. Gostei de seu texto, como sempre. Detesto anúncio de carros. Já reparou que nos anúncios as estradas/ruas são sempre vazias? As paisagens belíssimas. As pessoas bonitas e desestressadas. Uma mentira só. Mas tem tanta gente se iludindo e comprando o carro pensando estarem à comprar o paraíso. beijos.

Quer comentar?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 215 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: